Velhos Amigos

Marinha Grande: A ATLAS antes e durante a pandemia

Sou, desde há 7 anos, voluntária numa organização de solidariedade denominada Atlas. Há 4 anos fui convidada a coordenar um dos projectos desta associação – Velhos Amigos. É nesta qualidade que passo a enumerar sucintamente as linhas de atuação desta ONG na cidade onde vivo:

A ATLAS é uma organização não-governamental para o desenvolvimento, que tem como missão intervir em sectores-chave da sociedade, de modo a criar, junto das comunidades locais, alavancas de Desenvolvimento Humano Integrado e Sustentável, com efeito multiplicador continuado, em que as populações autóctones sejam as verdadeiras protagonistas da mudança.

Na Marinha Grande, a Atlas desenvolve, desde Julho de 2016, um projeto de Intervenção Cívica e de Desenvolvimento Local – o Projeto Velhos Amigos, que apoia idosos nas suas casas, em situação de carência e/ou isolamento. Um projeto de Voluntariado Profissional que leva refeições quentes, afetos e companhia a idosos da cidade, todos os fins-de-semana do ano.

São cerca de 100 voluntários/os comprometidos com este projecto, apoiando 22 beneficiários/as e envolvendo cerca de 23 restaurantes solidários. 

Na Marinha Grande, temos marcado presença nas Festas da Cidade assim como nas tendinhas de Natal, conseguindo dessa forma dar visibilidade à Associação, permitindo aos voluntários apresentar à população o Projecto Velhos Amigos e trazer novos amigos para a ATLAS.

Além do projeto de Intervenção Cívica e Desenvolvimento Local, a ATLAS desenvolve também nesta cidade, o Projeto Escolas Solidárias que presta apoio a crianças e famílias carenciadas através da doação de cabazes constituídos por produtos alimentares e de higiene. Também o número de cabazes tem vindo a aumentar significativamente. 

Neste tempo de pandemia, a Atlas, como tantas outras associações solidárias, tem-se desdobrado em apoios às famílias que atravessam provavelmente o tempo mais difícil das suas vidas.

 Durante o confinamento, numa conjugação de esforços, através da ajuda solicitada à Câmara Municipal da Marinha Grande, aos lares da Santa Casa da Misericórdia, Vergieiras e Outeirinhos à Associação Social Desportiva e Cultural de Casal Galego, a que se juntaram seis restaurantes solidários da nossa cidade, conseguimos assegurar o fornecimento das refeições aos nossos beneficiários.

Atualmente, na grave situação que o país continua a atravessar, não baixamos os braços e, assim, não privamos os nossos utentes desta nossa tão preciosa ajuda.

A solidariedade e o espírito de entreajuda foram, deste modo, postos ao serviço da comunidade.

A cada dia damos o nosso melhor, procurando honrar o princípio estruturante da Atlas: colocar a Pessoa no centro das políticas, acções e motivações.


Vice Presidente

Dora Birrento

Ler Mais

Velhos Amigos

Quando queremos falar sobre o projeto Velhos Amigos vêm muitas ideias à nossa cabeça.

Começou em Coimbra, em 2009, com 2 equipas (4 idosos) e foi crescendo devagar, com muitas oscilações. Hoje, em Coimbra, tem 15 equipas e mobiliza muitos voluntários. Só é possível com a ajuda destas pessoas (voluntários) que saem de suas casas ou dos seus trabalhos para partilharem um pouco de tempo, com o outro. Só é possível, também, porque há restaurantes que, mesmo em tempos difíceis, doam generosamente uma ou mais refeições.

O projeto Velhos Amigos iniciou em Coimbra. Hoje o projeto abrange igualmente as cidades de Leiria, Pombal e Marinha Grande.

Não se esgota no levar a refeição!

Há o acompanhar às consultas, o fazer compras, o ajudar em pequenos consertos e até a passear o cão. Há o lembrar-se do aniversário, o levar um miminho, o telefonar a meio da semana. Há a certeza que o idoso tem alguém que vai atender o telefone quando for preciso.

O projeto Velhos Amigos leva refeições aos beneficiários e não só, é uma ação essencial no combate à solidão de vários idosos.

Este projeto não é essencial, mas…

Se o Projeto Velhos Amigos não existisse, a solidão seria mais triste e mais amarga para muitos idosos que vivem sós.

Já é clássico dizer-se que fazer voluntariado traz muita satisfação pessoal, que é mais gratificante para o voluntário do que para a pessoa que visitamos, e outras coisas parecidas. Mas é difícil descrever a alegria que se sente quando vemos, no outro, um sorriso nos lábios ou um olhar brilhante assim que entramos na sua casa. E não será a relação o mais importante da vida? E não será o serviço e o fazer feliz o outro que darão sentido à vida?

Estou grata por ser voluntária da Atlas desde o início. Estou grata por pertencer a esta família.

Agora, com mais responsabilidade na gestão da Atlas, quero ter a sabedoria de ser capaz de mobilizar mais pessoas para fazerem com que o voluntariado faça parte das suas vidas.

Bem hajam a todos!


Autor: Raquel Pina

Vice-Presidente da ATLAS – People Like Us, voluntária do Projeto Velhos Amigos desde 2009 e um apoio fundamental na coordenação do projeto em Coimbra. Na ATLAS tanto a conseguimos encontrar a organizar as faturas como a cozinhar para os Velhos Amigos, incansável!

Ler Mais

A solidão no meio da multidão

By Jornal de Leiria | Maio 2020

Ler Mais
Close Bitnami banner
Bitnami